resenha · Sem categoria

Stephen Chbosky – As Vantagens de ser invisível

as vantagens de ser inisivel

Título original: The Perks of Being a Wallflower

Autor: Stephen Chbosky

Tradução: Ryta Vinagre

Editora: Rocco

Páginas: 224

Ano: 2012

ISBN: 978-85-325-2233-7

Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras – são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude.

24 de Novembro de 2015

Querido Charlie,

Acabei de ler, o que me parece ser sua última carta, e finalmente que sei exatamente o que escrever em resposta.

Primeiro, você precisa saber que quando li sua primeira carta fiquei assustada, afinal ela veio de muito longe, então li e reli varias vezes, e não conseguia entender, porque você foi muito breve em relação a sua identidade, foi então que concluí que só podia ser uma brincadeira de mau gosto. Duas semana depois mais uma carta apareceu, e depois elas ganharam frequência, e aí entendi que havia uma seriedade nisso, porque naqueles papéis, suas palavras me contavam os momentos mais íntimos que você em algum lugar vivia, e isso me fez bem. Me fez bem saber que confiava em mim.

Mesmo assim Charlie, ainda nas primeiras cartas eu te achei um bobo e infantil, porque você parecia se fazer de coitadinho e isso me irritava, e você estava sempre a margem, nunca participava de nada, no início tinha vontade de te ligar e gritar com você, mas não tinha seu número, queria lhe escrever de volta dizendo que você devia começar a se entrosar com outras pessoas e parar de reclamar. Ah Charlie, sinto muito por ter pensado isso de você, porque conforme me escrevia, mais conseguia entender suas ações ou a falta delas.

Charlie, gostaria que você soubesse que sinto muito por Michael e sinto muito pelas ações de Susan, tenho certeza que algum dia ela vai se arrepender, mas acho que agora você mesmo deve ter concluído isso. E também quero que saiba que sei como pode ser solitário estar entre muitas pessoas e o quanto essa solidão é triste. Eu sei, especialmente que a escola pode ser chata e cansativa, principalmente quando se é novo, mas também é lá que conhecemos pessoa novas que nos farão ter os melhores anos de nossa vida, então fico feliz por ter feito amigos, fico feliz por ter cada um deles, Mary Elizabeth, Alice, Bob, Sam, Patrick, todos eles.

Fico feliz especialmente por Sam e Patrick, a forma como escreve sobre eles demonstra o quanto é bonita a amizade de vocês, desculpe, não quero ser clichê, mas é assim que ela é, pura, forte,especial e simples, como esses relacionamento devem ser. Eles parecem ser maravilhosos, vocês três juntos se completam, e isso é uma das coisas mais importantes do mundo Charlie, se sentir completo.

Charlie, também quero falar sobre Bill, ele está certo quando pede para você participar mais, você tem que viver, há vantagens em ser invisível, mas as desvantagens são ainda maiores e ainda mais duras. Quando ele diz isso é porque ele quer o seu bem, acredite, eu falo porque também quero. Falando em Bill, gostei muito dos livros que ele te recomendou, já tinha lido um ou dois e estou a procura dos outros, espero gostar deles, e quem sabe possamos trocar cartas sobre eles. Falando em cartas, quero que saiba que você escreve com perfeição Charlie, você me fez entender de forma fluída e simples tudo o que se passou com você neste ano, e a cada carta que me enviava mais ansiosa ficava pela próxima. Você tem um dom Charlie, você é realmente especial.

Há outro assunto que quero tratar, mas acho que Sam já foi bem clara quanto a isso, e estar com Mary Elizabeth, apesar de atordoante, foi uma experiência a qual deve conservar. Nós garotas somos complicadas Charlie, mas no geral relacionamentos amorosos são complicados e com o tempo você vai entender melhor isso, eu mesma vou entender melhor isso, mas é necessário que nos consolemos, porque nunca saberemos tudo.

Charlie, sinto muito por sua tia Helen, acho que é tudo que posso dizer sobre ela, mas fico feliz que esteja bem e que compreenda que tempos ruins virão, mas que os bons chegarão logo em seguida.

Finalmente, obrigada, você fez com que eu me sentisse infinita.

Com amor,

sua Destinatária.

5

 

*Essa resenha foi feita por mim originalmente em 26/06/2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s